sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O que é arte naif

Obra de Ângela representa a Procissão Marítma.
Foto: Ângela Gomes/Divulgação.
Reprodução do site: g1.globo.com

Arte Naif.
Por Anna Adami.

O significado de Arte Naif, também denominada de Arte Primitiva Moderna pode ser interpretado como um tipo de arte simples, desenvolvida por artistas sem preparo e conhecimento das técnicas acadêmicas. É considerada uma arte com elementos sem conteúdo. O termo inglês Naif pode ser traduzido como ingênuo e inocente, por isso a compreensão simplista. A falta de técnica não retraiu o desenvolvimento desta arte, que recebeu grande destaque, ao ser valorizada por apreciadores da estética e pessoas comuns.

A característica da Arte Naif é o déficit de qualidade formal. Os desenhos e grafias não possuem acabamento adequado, com traços sem perspectiva e visível deficiência na aplicação de cores, texturas e sombras. A estética desta arte pode ser definida como sem compromisso com a arte real, pois mistura de cores sem estudo detalhado de combinações e as linhas possuem traços sempre figurativos e bidimensionais.

Arte Naif é a arte sem escola ou aprendizado técnico. O artista parte de suas experiências próprias e as expõe de uma forma simples e espontânea. Esta estética não pode ser enquadrada em tendências modernistas, sobretudo na arte popular, pois foge a regra. Ao analisar a construção deste tipo de arte, é possível verificar que o artista utiliza experiências pessoais, oriundas de sua convivência com o meio e cultura geral, sendo assim, há uma pequena esfera cultural embutida na Arte Naif. Mesmo assim, estudiosos deste conceito, a comparam a um tipo de arte primitiva e infantil, sem sofisticação ou requinte sistemático.

Afirma-se que este tipo de arte possui liberdade estética e pode ser resumida como uma arte livre de convenções. Críticos dizem que em termos gerais, a Arte Naif é concebida por artistas que pintam com a alma, diferente da arte desenvolvida por artistas acadêmicos, que pintam apenas com o cérebro, não expressando sentimento.

O ícone da Arte Naif é Henri Rousseau, pintor especialista em cores, considerado por muitos como precursor da corrente e principal artista. Henri não possuía educação geral, nem tampouco conhecimento em arte ou pintura. Ao levar a público, sua primeira obra denominada "Um dia de carnaval", no Salão dos Independentes, o artista foi severamente criticado por ignorar princípios básicos de geometria e perspectiva. A obra retratava paisagens selvagens mescladas a um emaranhado de tramas, as quais remetem a sonhos e sentimentos do artista. Mas seu reconhecimento só se fez valer no século XX, após ser admirado por Pablo Picasso, Guillaume Apollinaire, Robert Delaunay e Alfred Jarry, além de renomados intelectuais. Relatos comprovam que sua obra foi reconhecida na França (Paris) e através de sua obra, a Arte Naif influenciou e embasou a corrente estética do Surrealismo de Salvador Dali, no ano de 1972.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Arte_na%C3%AFf
http://www.historiadaarte.com.br/artenaif.html
http://allartsgallery.com/pt-PT/naif

Texto reproduzido do site: infoescola.com

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Documentário História da Arte

Arte ou artesanato?

O papel da arte na formação dos jovens...


O papel da arte na formação dos jovens e na transformação das comunidades.

Educação da sensibilidade. Assim pode ser definido, em uma única expressão, o ensino de Arte. O que isso significa? Perceber crianças e adolescentes de forma integral e mobilizar suas capacidades para que possam participar plenamente das culturas, conhecendo, apreciando, criando e pensando sobre a produção humana de seu tempo e de outros tempos. A Arte desempenha, portanto, um papel fundamental na educação. Certo? Em parte...

“A Arte pode ter muitos papéis, pois tem muitos alcances. Pode fortalecer a identidade, pelo conhecimento das culturas das quais o aluno participa. Pode ampliar a visão de mundo, pelo contato com a produção artística de outros tempos e lugares. Pode dar à criança um espaço de expressão e de participação como produtora de cultura. Pode e deve integrar-se com outras áreas do conhecimento, permitindo uma maior compreensão do mundo”, diz Selma Moura, mestre em Linguagem e Educação pela USP e professora há 16 anos.

“Conhecer diferentes processos artísticos e, por conseguinte, diferentes processos de criação, interferem no processo de aprendizagem no sentido de se estar atento aos diferentes tipos de inteligência, respeitando e valorizando as diferenças de cada aluno. Essa atitude acrescenta possibilidades de discussões enriquecedoras que fazem com que os alunos se percebam como sujeitos ativos de sua própria aprendizagem”, acrescenta Mônica Bolsoni, professora de Artes Plásticas e História da Arte do CAP UERJ e Coordenadora do Pólo UERJ Arte na Escola.

Mas, segundo Mônica, expectativas anacrônicas a respeito dos objetivos das aulas de Artes ainda persistem. “O tempo de aula e a falta de salas específicas demonstram não haver atenção merecida e provam desconhecimento da importância do ensino das Artes na formação dos alunos”, opina. Uma das formas de mudar esta situação, valorizando e utilizando todo o potencial da Educação Artística, é se aproximar da realidade. “Utilizar temas relevantes do momento, relacionar aspectos históricos e propor atividades e ações que carreguem significado durante todo o seu processo”, observa Mônica Bolsoni.

E se o objetivo é aproximar os conteúdos com a vida e a realidade dos alunos, a cultura popular não pode ficar de fora. Sobretudo em um país como o Brasil, com uma produção vasta e diversificada. “É claro que todas as crianças têm direito a conhecer os nomes consagrados na Arte, mas não podemos descuidar também da realidade social de cada aluno, de cada escola, de cada cidade. Nossa produção artística – acadêmica e popular – é riquíssima e não faz sentido ignorá-las ao trabalhar Artes na escola”, confirma Selma Moura.

Por isso, visitar comunidades, conhecer grupos tradicionais, apreciar manifestações como o grafite e o rap e valorizar os conhecimentos trazidos pelas crianças é tão importante quanto visitar museus. “Ao valorizar os conhecimentos das comunidades, fortalecemos a auto-estima das crianças e dos jovens, tornamos a aprendizagem mais significativa e legitimamos o conhecimento popular como digno e válido, ajudando a formar para a cidadania, o respeito à diversidade e a valorização da pluralidade cultural”, acrescenta Selma.

Texto e imagem reproduzidos do site: conexaoprofessor.rj.gov.br/especial

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Artes Plásticas Bacharelado


Artes Plásticas
Bacharelado

Artes Plásticas é a profissão certa para mim?

É a criação de obras, como desenhos, pinturas, gravuras, esculturas e colagens, utilizando elementos visuais e táteis para representar o mundo real ou imaginário. O artista plástico lida com papel, tinta, gesso, argila, madeira e metais, programas de computador e outras ferramentas tecnológicas para produzir suas peças. Expõe os trabalhos em galerias, museus ou lugares públicos, ilustra livros e periódicos, além de, por meio de técnicas de animação, editoração eletrônica e digital, produzir vinhetas para TV e sites. Também gerencia acervos e mostras em centros culturais e fundações.

O mercado de trabalho.

"A demanda existe porque a questão da arte visual está presente em várias áreas da atividade humana. Hoje a visualidade está no celular, na capa do caderno, no computador, na parte gráfica", explica Maria Christina de Souza Lima Rizzi, coordenadora do curso da USP. Além disso, o maior incentivo dos governos federal, estadual e municipal na área cultural faz esse profissional encontrar trabalho em institutos e centros culturais, atuando como monitor, organizador de eventos, educador e coordenador. O terceiro setor (organizações sem fins lucrativos, como ONGs) é outra possibilidade de emprego para esse profissional na curadoria de exposições ou em trabalhos sociais. Dar aulas, para quem é licenciado, é boa opção em escolas do Ensino Infantil, Fundamental e Médio. Além de cumprir a carga horária obrigatória, há muitos estabelecimentos de ensino que oferecem cursos extracurriculares aos alunos. Essa prática vem crescendo nas instituições particulares, abrindo vagas para mais professores. Lecionar em cursos livres de artes é outra opção. Os grandes centros, como Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, apresentam demanda. "O Nordeste também possui um bom mercado. A formação cultural deixou de ser um privilégio só de grandes capitais, há locais que propagam cultura própria", afirma Maria Christina Rizzi.

Salário inicial: R$ 41,56 por hora/aula (em escolas particulares, para educação artística; fonte: Sindicato dos Professores do Rio de Janeiro).

O curso.

Como há muitas opções em todas as regiões do país, é preciso atenção para escolher o curso, pois há diferentes habilitações, como animacão gráfica e cerâmica. A maior parte dos cursos são licenciaturas, que preparam o professor para atuar na Educação Infantil e nos ensinos Fundamental e Médio. Depois de fazer a opção pela graduação que mais lhe convier, ainda no vestibular é necessário passar por provas de aptidão. Na faculdade, o forte do currículo são as disciplinas da área de humanas, como história da arte, com as diversas correntes artísticas do Brasil e do mundo, multimeios, sociologia, filosofia, estética, semiótica e comunicação. A carga horária das matérias práticas também é grande, com desenho, pintura e imagens digitais, entre outras. Para se formar, é preciso apresentar um trabalho de conclusão de curso. Algumas escolas também exigem um período de estágio.

Duração média: quatro anos.

Outros nomes: Arte; Arte (educ. art.); Artes; Artes (anim. gráf.); Artes (artes vis.); Artes Aplic. (ênf. em cerâmica); Artes Vis.; Artes Vis. (des. de ilustração); Artes Vis. (educ. art.); Artes Vis. e Tecnol. da Imagem; Belas Artes; Belas Artes (artes plást.); Educ. (artes plást.); Educ. (artes vis.); Educ. (educ. art.); Educ. Art.; Educ. Art. (artes plást.); Educ. Art. (artes vis.); Educ. Art. (des.); Expressão Gráf.

O que você pode fazer.

Escultura
Criar formas tridimensionais com diversos materiais, como metais, pedra, madeira, argila ou gesso.

Ensino
Com licenciatura, dar aulas de educação artística em escolas do ensino básico. Em faculdades, lecionar disciplinas específicas, como história da arte.

Eventos
Selecionar e classificar obras de arte para a organização de mostras e exposições.

Gravura
Desenhar figuras em relevo sobre uma superfície plana de madeira, pedra, tecido ou metal, para posterior impressão.

Multimídia
Elaborar vinhetas, ilustrações ou desenhos animados para emissoras de TV, sites ou exibições públicas, empregando técnicas de animação, vídeo e computação gráfica. Planejar a exposição de obras interativas em museus e galerias.

Pintura e desenho
Representar formas em papel, telas ou paredes usando lápis, tinta, aquarela, pastel, esmalte, cera e outros materiais.

Restauração

Recuperar obras e objetos de arte antigos ou deteriorados, mantendo suas características originais.

Texto reproduzido do site: guiadoestudante.abril.com.br

sábado, 25 de janeiro de 2014

Arte de Tolentino 2013 - Painel de 4 metros


Significado de Artes Plásticas

O que são Artes Plásticas:

Artes plásticas é a designação dada ao conjunto constituído pela arquitetura, a escultura, as artes gráficas e o artesanato artístico.

As artes plásticas são caracterizadas, tal como as restantes artes, tanto global como individualmente, pelo efeito recíproco da forma e do conteúdo. Na evolução dos estilos artísticos se verificam características especiais de desenvolvimento histórico. Cada época, como a românica, a gótica, a barroca ou renascentista, tem estilos característicos regionais (nacionais) e individuais, com evolução própria e ligados a individualidades artísticas isoladas, cuja investigação é do foro da história da arte.

O fato de o princípio da harmonia inerente a uma obra de arte nem sempre estar ligado à concepção corrente de beleza determinada pelos ideais clássicos, já se observa na arte das culturas pré-históricas: separação entre superfície e forma, por exemplo, nas imagens rupestres e utensílios da era glaciar. Encontra-se tanto na arte dos povos primitivos, que serve as finalidades do culto mágico, como na arte popular, nas obras de arte das igrejas e cortes ocidentais e na expressão imagística das crianças, sendo a finalidade de todos os ramos da educação artística auxiliar o desenvolvimento do impulso inconsciente da criação.

A lógica da progressão do desenvolvimento de formas estilísticas através das fases da juventude, maturidade, idade adulta e avançada, bem como a importância do contexto de relações sociais, políticas e religiosas, são também fatores determinantes de todas as artes e obras artísticas, quer tenham por finalidade servir, educar, criticar ou apenas sugerir ou retratar as relações temporais.

A fé cristã, e nomeadamente a vida litúrgica, constituíram até ao início do período barroco as mais importantes forças de fomento da arte ocidental. Contudo, já a partir do Renascimento se verificou uma gradual separação da arte da sua finalidade até aí predominantemente religiosa, sendo fortalecido simultaneamente o interesse por trabalhos puramente estéticos. A consequência extrema deste desenvolvimento foi o surgir, no século XIX, da ideologia da arte pela arte, que todavia, se concretizou menos nas artes plásticas do que na literatura e na música.

As escolas e academias de arte se dedicaram ao ensino das artes plásticas. Os museus, que têm muitas vezes a sua origem em fundações particulares, têm por missão cuidar da herança artística do passado e da conservação de importantes testemunhos da arte contemporânea. Tornam acessíveis ao público, de um modo ordenado, quadros, esculturas, trabalhos gráficos e artesanato artístico, executam os restauros necessários e organizam muitas vezes exposições especiais e itinerantes. Os serviços de manutenção dos monumentos cuidam da conservação de monumentos históricos inamovíveis. Os serviços públicos de conservação da arte fazem também contratos com artistas famosos, transmitem conhecimentos no âmbito da educação de jovens e adultos, editam publicações e efetuam intercâmbios de bolseiros, de resultados de investigações científicas e de coleções com o estrangeiro.

As associações locais de arte, que orientadas por fundações particulares e subsídios públicos, se dedicam essencialmente a exposições e conferências, ocupam desde o século XVIII um importante lugar na conservação e fomento da arte.

Os críticos de arte informam o público sobre acontecimentos e questão da arte contemporânea sob a forma de crítica valorativa. Não se limitam a se pronunciar sobre as exposições e manifestações similares, mas exercem uma pedagogia artística. A Associação Internacional dos Críticos de Arte é desde 1948 a organização internacional que engloba todas as associações de críticos.

Texto reproduzido do site: significados.com.br/artes-plasticas/

terça-feira, 20 de agosto de 2013

A Arte em Forma de Pintura

Mona Lisa, de Da Vinci: uma das pinturas mais conhecidas.

A arte é uma forma de o ser humano expressar suas emoções, sua história e sua cultura através de alguns valores estéticos, como beleza, harmonia, equilíbrio. A arte pode ser representada através de várias formas, em especial na música, na escultura, na pintura, no cinema, na dança, entre outras.

Após seu surgimento, há milhares de anos, a arte foi evoluindo e ocupando um importantíssimo espaço na sociedade, haja vista que algumas representações da arte são indispensáveis para muitas pessoas nos dias atuais, como, por exemplo, a música, que é capaz de nos deixar felizes quando estamos tristes. Ela funciona como uma distração para certos problemas, um modo de expressar o que sentimos aos diversos grupos da sociedade.

Muitas pessoas dizem não ter interesse pela arte e por movimentos ligados a ela, porém o que elas não imaginam é que a arte não se restringe a pinturas ou esculturas, também pode ser representada por formas mais populares, como a música, o cinema e a dança. Essas formas de arte são praticadas em todo o mundo, em diferentes culturas. Atualmente a arte é dividida em clássica e moderna e qualquer pessoa pode se informar sobre cada uma delas e apreciar a que melhor se encaixar com sua percepção de arte.

Conheça o MAM - Museu de Arte Moderna de S. Paulo